Pressão alta e diabetes podem afetar os rins

A hipertensão e o diabetes normalmente são associados a doenças cardiovasculares como AVC e infarto, mas eles também podem provocar problemas nos rins.

Quando a pressão arterial foge do valor ideal (12×8), os vasos sanguíneos sofrem lesões, e com o tempo podem ficar mais espessos e rígidos. Nos rins, esse efeito resulta em perda da eficiência para filtrar o sangue e eliminar resíduos nocivos adequadamente. No caso do diabetes descontrolado, é o aumento da glicemia que danifica os vasos e acaba acarretando o mesmo efeito.

A perda progressiva da capacidade de filtrar o sangue pode levar à doença renal crônica. Assim como a hipertensão e o diabetes, essa doença é silenciosa, ou seja, não apresenta sintomas em fase inicial. Alguns pacientes só percebem que há algo errado quando o órgão já está muito comprometido. Nessa fase, alguns sinais são mal-estar, fadiga, perda de apetite e perda de peso não intencional. Em casos graves, pode haver necessidade de diálise e até de transplante de rins.

Pacientes com diabetes que desenvolvem problemas nos rins também podem apresentar proteína na urina, edemas (inchaço por excesso de líquido) nas pernas e pressão arterial elevada.

COMO PREVENIR DANOS NOS RINS?

O risco de complicações resultantes da hipertensão e do diabetes é muito menor quando há adesão ao tratamento. Os pacientes precisam de um tratamento amplo, que inclui medicamentos, acompanhamento com especialistas e mudanças no estilo de vida, principalmente quanto a hábitos alimentares. Esse conjunto de fatores é o que ajuda a manter a pressão arterial e a glicemia controladas, evitando, assim, prejuízo ou perda da função renal.

Muitos pacientes hipertensos sob tratamento imaginam que, como a pressão arterial está em nível normal, podem parar de tomar seus medicamentos, mas essa conduta é absolutamente contraindicada. A doença é mantida sob controle justamente porque o tratamento está sendo seguido. É necessário seguir as orientações médicas rigorosamente.