Psicólogos da rede municipal reúnem pais e mães de alunos para roda de conversa sobre autismo

Roda de conversa realizada pela Secretaria de Educação envolveu familiares de alunos com Transtorno do Espectro Autista

Encontro foi marcado por depoimentos sobre as angústias e superações envolvendo crianças e adolescentes autistas, com trocas de experiências, incentivos e aconselhamentos

“Esse bate-papo foi muito importante porque os pais nunca tiveram o apoio efetivo da rede pública no que diz respeito ao Transtorno do Espectro Autista (TEA). Quem tem condições financeiras procurava um profissional para ter auxílio diário, e quem não tem como pagar ficava desamparado. Foi bom ouvir a experiência de outras famílias que passam pelo mesmo problema, para sabermos que não estamos sozinhos nesta causa”.

O depoimento é da vigilante Katicilene Lúcia Calado de Souza, mãe de um aluno com autismo matriculado no 6º ano da Escola Municipal Padre Cícero, no bairro Bom Retiro, em Ipatinga. Ela participou na tarde desta terça-feira (10), no Espaço Qualifica, de uma roda de conversa envolvendo psicólogos da Secretaria Municipal de Educação e pais de alguns alunos da rede, que têm transtorno.

O encontro, que foi dividido em duas turmas de diferentes horários, teve como objetivo acompanhar e escutar os pais dos alunos da rede municipal que lidam diretamente com o Transtorno do Espectro Autista. Após o bate-papo, foi oferecido aos presentes um café da tarde.

Acompanhamento

“Começamos há pouco um trabalho diferenciado, fazendo também um acompanhamento com os pais, uma vez que os alunos já vêm recebendo algumas orientações psicológicas nas escolas. Essa abordagem que estamos realizando está acontecendo de uma forma geral, com todos os alunos. Porém, fizemos um levantamento e vimos que existe um grande número de alunos com Transtorno do Autismo na rede municipal. Então demos início a essa roda de conversas para ouvir os familiares, conhecer as angústias, dificuldades e as superações de cada um. Daqui para frente faremos esse acompanhamento de ouvir os pais para subsidiar um trabalho que visa o desenvolvimento destas crianças”, explicou a psicóloga da rede municipal de educação, Lúcia Gonçalves Vilela.

Recém-contratados para compor o quadro de funcionários da Secretaria de Educação, quatro novos psicólogos atuam juntamente com outros dois profissionais que já fazem parte do quadro de servidores, auxiliando alunos, professores e pais nas 45 escolas municipais da rede. 

Excepcionalidades

A secretária municipal de Educação, Eva Sônia Rodrigues, reforça que a chegada desses profissionais na rede, viabilizando esses encontros com os pais de alunos especiais, é de extrema importância para o bom desenvolvimento do aluno na sala de aula. “Quando se faz um trabalho diferenciado de apoio à família destes alunos especiais – ela diz –, isso reflete diretamente no desempenho dos nossos alunos na sala de aula. Existem determinadas situações que fogem da alçada do professor e dos profissionais da educação. Por isso a importância da atuação do psicólogo, para intervir e auxiliar os educadores e os pais. Sentimos a necessidade de dar atenção especial aos pais dos alunos com TEA, e assim nasceu a ideia desta roda de conversa. A nossa intenção é ampliar ainda mais esse atendimento”, conclui.

Fonte: PMI

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here