Prática de experimentos marca a abertura da VII Semana da Química

A VIIª Semana da Química se estende até sexta-feira (20) e deve receber cerca de 600 alunos do 7º ao 9º ano

Evento desenvolvido pela Secretaria de Educação no Parque da Ciência tem como tema a comemoração dos 150 anos da tabela periódica

Dois professores realizaram um experimento químico, com uma turma do 9º ano da Escola Municipal Altina Gonçalves, do bairro Iguaçu. Os alunos acompanharam de perto atentos e curiosos, nesta terça-feira (17), o fenômeno de chamas de fogo alterarem a sua cor à medida que os profissionais adicionavam os componentes da experiência.

Essa foi a dinâmica da abertura da VIIª Semana da Química, realizada no Parque da Ciência, localizado no Parque Ipanema. O evento, que é organizado pela Secretaria Municipal de Educação (SME), envolve mais 600 alunos de 16 turmas do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

O tema escolhido para os trabalhos deste ano é a Tabela Periódica dos Elementos Químicos. Para celebrar o 150º aniversário deste momento marcante da ciência, a ONU proclamou 2019 como o Ano Internacional da Tabela Periódica.

A gerente do Parque da Ciência, Graziela Matos lembra que a escolha do tema deste ano se deve ao ano comemorativo da criação do instrumento que permite prever as propriedades dos elementos na Terra ou em qualquer parte do universo.

“Estamos em busca de sempre promover atividades no Parque da Ciência que permitam a utilização deste espaço que é simplesmente incrível e foi todo revitalizado pela atual administração. A Semana vem com objetivo de apresentar aos alunos o cotidiano da Química, mostrar que ela está presente no nosso dia-a-dia. E a escolha do tema é uma forma de homenagear o russo Dmitri Mendeleiev, que criou o Sistema Periódico dos Elementos Químicos, no ano de1869”, explicou a gerente.

Toda a programação da VII Semana da Química conta com a parceria da faculdade Pitágoras.

Aula prática

Para a secretária municipal de Educação, Eva Sônia Rodrigues, as atividades propostas no Parque da Ciência são uma forma prática de diversificar as atividades de sala de aula.

“Ofertar aos nossos alunos diferentes possibilidades de aprendizagem em um espaço como o Parque da Ciência, que na prática funciona como uma aula de laboratório, é de extrema importância. Com a Semana da Química, queremos despertar a curiosidade e o interesse dos nossos alunos por esta disciplina, tão vasta em experimentos e reações e que faz parte do nosso cotidiano”, disse a secretária.

O prefeito Nardyello Rocha participou da abertura da VIIª Semana da Química e deu as boas-vindas aos alunos presentes. Na oportunidade, o chefe do Executivo enalteceu o trabalho desenvolvido pela gerência do Parque da Ciência – unidade ligada à Secretaria de Educação – e ressaltou a importância dos estudantes já criarem familiaridade com o conteúdo da Química.

“A Semana da Química é um evento que veio agregar ainda mais ao brilhante trabalho que tem sido desempenhado por todos os profissionais da educação da nossa rede municipal. Até o 9º ano a disciplina não faz parte da grade curricular. Porém, no Ensino Médio ela se torna obrigatória e se o aluno não tem uma base do conteúdo ele acaba tendo uma dificuldade maior. Então é uma preparação que estamos fazendo para que esses estudantes não cheguem despreparados no Ensino Médio. Revitalizamos todo o Parque da Ciência e colocamos para funcionar novamente para podermos dar aos nossos alunos experiências práticas que gerem valores positivos para o seu futuro”, declarou Nardyello Rocha.  

Programação

Até sexta-feira (20), o Parque da Ciência receberá diariamente quatro turmas das escolas municipais pela manhã e à tarde, divididos em grupos. Os alunos participam de oficinas em que são mostradas as reações químicas e como os cientistas trabalham nas pesquisas.

A VII Semana da Química conta também com show abordando o tema do evento, jogo da Tabela Maluca, Oficina Sensorial e Sangue Mágico.

O aluno Kaynan Miller Moura da Fonseca, do 9º ano da Escola Municipal Altina Gonçalves, além de estar atento a todas as atividades propostas, também foi voluntário em uma das experiências.

“Achei muito interessante a mudança de cor do líquido à medida que eu soprava o conteúdo. Aulas práticas chamam mais atenção porque conseguimos visualizar e até fazer aquilo que antes era somente lido nos livros”, comentou.

Fonte: PMI