Ipatinga registra baixa adesão na campanha contra Sarampo

Altamente contagiosa, doença já prolifera por 17 estados do País (Foto: divulgação)

Mesmo com a declaração do governo estadual de que Minas Gerais está em surto de sarampo, a primeira etapa da campanha de vacinação contra a doença, em Ipatinga, que teve início na última segunda-feira (7), imunizou somente 200 crianças de seis meses a cinco anos incompletos. Mais de 5.500 doses da vacina Tríplice Viral foram asseguradas pelo município na Superintendência Regional de Saúde, a fim de atender a população.

A procura nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), por este grupo considerado mais suscetível a complicações da doença, é avaliada como muito baixa nesta fase inicial. Aqueles que estiverem sem a cobertura vacinal completa devem atualizar a caderneta ainda neste mês. A vacina está disponível das 7h30 às 16h30, em 17 salas de vacinação. Já o Dia D da campanha será em 19 de outubro, das 7h30 às 16h30, em todas as 21 UBS’s do município.

Jênifer Santos não perdeu tempo. Após ter conhecimento da campanha, aproveitou o primeiro dia e já vacinou o filho de oito meses. “Foi bem rápido. Cheguei e já fui atendida. Aí, já ficamos livres de problemas, né?”, conclui a dona de casa. Ela retornará à Unidade de Saúde do bairro Iguaçu daqui a 120 dias para a vacinação de rotina, quando o bebê completar os 12 meses de vida.

Neste momento de campanha, por se tratar de uma doença respiratória, altamente contagiosa, a recomendação é de que sejam aplicadas doses da vacina em crianças a partir dos seis meses de idade. Adultos até 29 anos ainda não imunizados devem tomar duas doses da vacina e, de 30 a 49 anos, uma dose.

De acordo com boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em setembro, foram confirmados 5.346 casos de sarampo no Brasil e já chega a 17 o número de estados com transmissão ativa da doença. A segunda etapa da Campanha de Vacinação acontecerá de 18 a 30 de novembro e será focada em jovens de 20 a 29 anos.

Segundo Mara Fernanda Andrade, do Departamento de Vigilância em Saúde, “os casos de sarampo aumentam e demonstram a necessidade de vacinar a população preconizada contra a doença. Solicitamos que as mães, pais ou outro responsável leve a criança até uma das salas de vacinação distribuídas no município. É uma doença altamente transmissível e que pode ser acompanhada de complicações graves. E como o vírus está em circulação, muitas pessoas não tiveram contato com o sarampo e não sentem o risco de contaminação ou transmitir para alguém. Por isso a administração municipal alerta e chama a população para a vacinação”, salienta.

Alerta

Recomenda-se que mães com bebês menores de seis meses de idade evitem exposição a aglomerações, mantenham higienização adequada, ventilação de ambientes e procurem imediatamente um serviço de saúde diante de qualquer sintoma da doença, que pode incluir manchas vermelhas pelo corpo, febre, coriza, conjuntivite e manchas brancas na mucosa bucal.