Ipatinga: LIRAa mostra números mais positivos sobre o Aedes aegypti

Como resultado de intenso trabalho desenvolvido nos últimos meses para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti em Ipatinga, a Secretaria Municipal de Saúde constatou redução significativa do índice de Infestação Predial (IIP). O resultado foi divulgado na última quarta-feira (14). Nas últimas quatro semanas, Ipatinga registrou 44 casos de Dengue, oito de Chikungunya e dois de Zika.

O 2º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os dias 5 e 8 de agosto, aponta que o transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya está presente em 1,6% dos imóveis visitados. Na primeira sondagem, realizada em janeiro, o índice era de 3,6%. O risco de transmissão das arboviroses é classificado como de nível médio, ainda acima do máximo preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1%, requerendo a atenção e o cuidado de todos.

Segundo o prefeito Nardyello Rocha, “as diversas frentes de trabalho, como ações educativas em escolas, creches e praças da cidade, além do recolhimento de lixos e entulhos, o reforço de pessoal com a vinda dos Agentes de Combate a Endemias (ACEs) do governo do Estado, somado ao apoio dos Agentes Comunitários de Saúde, são iniciativas criadas para conter o avanço das arboviroses (dengue, chikungunya e zika vírus) transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti”.

Dos 4.311 imóveis programados para apuração do LIRAa, os Agentes de Controle de Endemias (ACE) foram além e inspecionaram 4.368. Além de residências, foram visitados estabelecimentos comerciais e terrenos baldios.

Alerta permanente

A situação mais preocupante foi constatada nos bairros Bom Jardim, Ferroviários, Horto, Industrial e região da Usipa, com índice de infestação de 4,2%. As comunidades mais próximas da zona rural aparecem em segundo lugar: Limoeiro, Chácaras Madalena, Córrego Novo, Chácaras Oliveira e Barra Alegre. Os focos encontrados estão em 3,8% dos imóveis. Em seguida vêm os bairros Ideal e Esperança, onde o índice é de 3%.

“Várias dessas ações foram realizadas nos bairros que apresentaram índice elevado de infestação no primeiro LIRAa. E vemos o resultado positivo desse trabalho. Agora vamos intensificar as ações e mobilizar a comunidade nas áreas de maior incidência para baixar ainda mais o índice. Assim, quando chegar o verão, teremos um indicador abaixo do preconizado pelo Ministério da Saúde”, projeta Marcela Reis, gerente do Centro de Controle de Zoonoses de Ipatinga.

Nesta sexta-feira (23), Agentes de Combate a Endemias, em conjunto com alunos da Faculdade de Medicina, promoverão no bairro Limoeiro um Trote Solidário sobre a importância de se eliminar água parada. Já no próximo dia 30, será a vez dos moradores do bairro Bom Jardim passarem por uma blitz educativa.

Criadouros predominantes

Durante a apuração, foi observado que os principais criadouros do mosquito Aedes aegypti são vasos, pratos e bebedouros de animais (45,8%), seguidos de depósitos de água como barris, tambores, tanques e poços (22,2%). Muitos focos aparecem ainda em borracharias, nas calhas e lajes (16,7%).

Fonte: PMI

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here