Ipatinga inicia campanha de vacinação contra raiva animal

A Campanha de Vacinação contra a Raiva Animal em Ipatinga terá início no próximo dia 19. As comunidades da zona rural serão as primeiras a receber os Agentes de Combate a Endemias (ACE), que imunizarão os animais da localidade até o dia 21. Logo após, a mobilização seguirá para os bairros da área urbana, prosseguindo até o dia 9 de setembro. O Dia D da campanha será 14 de setembro.

De acordo com o último senso canino realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Ipatinga possui um contingente de 22.758 animais, sendo 17.902 cães e 4.856 gatos. A Secretaria Municipal de Saúde espera vacinar toda a população canina e felina da cidade.

Segundo a gerente do CCZ, Marcela Reis, o município já está preparado para a mobilização e espera a adesão dos moradores para que a doença permaneça sob controle. 

“Nesta semana, os Agentes de Combate a Endemias passaram por uma atualização sobre a conduta técnica ao receber os animais para a vacinação, além dos procedimentos para se evitar acidentes e orientações sobre aplicação e conservação das vacinas. As doses já estão asseguradas para o município. A participação dos proprietários de animais será uma demonstração de cuidado. Gatos e cães, quando bem tratados e vacinados, refletem melhores condições de vida tanto para o homem quanto para o animal, prevenindo doenças”, explica Marcela.

Ao todo, a administração municipal escolheu 40 pontos em diversos bairros para que os responsáveis levem seus animais para serem vacinados. O CCZ reforça que o setor, que fica anexo à Suplan, no bairro Cidade Nobre, realiza a vacinação contra a raiva durante todo o ano, das 7h30 às 15h30.

A orientação do Centro de Controle de Zoonoses é que, no dia da vacinação, os cães, que devem ter mais de três meses, precisam estar com coleira e guia e serem conduzidos por pessoas com tamanho suficiente para controlá-los e contê-los. Animais bravos devem estar com focinheira para não oferecer nenhum risco de ataque ao proprietário e outras pessoas. Já os gatos, que são naturalmente assustados, devem ser levados em caixas, para evitar fugas ou acidentes. A orientação é que os animais doentes não devem ser vacinados. 

Fonte: PMI