Delegacia da Polícia Federal: região monta grupo de trabalho para audiência com Moro

A reunião realizada na manhã desta sexta-feira, na PMI, atraiu a presença de dezenas de lideranças, dos mais diversos segmentos (Foto: divulgação/ PMI)

A campanha pela instalação de uma Delegacia de Polícia Federal de grande porte, no Vale do Aço, que passou a ser vista como hipótese concreta, esta semana, após o reconhecimento da necessidade por um superintendente da instituição, em reunião na Prefeitura de Ipatinga, ganhou ainda mais força nesta sexta-feira (20). Atendendo convite do prefeito Nardyello Rocha para definição de novos passos em relação à demanda, dezenas de lideranças regionais, representando os mais diversos segmentos, participaram de um produtivo encontro que evoluiu para a montagem de um grupo de trabalho que deverá se dirigir a Brasília nos próximos dias, subsidiado por estudos técnicos levantados por solicitação da PMI, para uma audiência com o ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O fator determinante para a agilização de um movimento de forças regionais em torno da implantação de uma unidade da PF no Vale do Aço foi a manifestação positiva do Superintendente-Adjunto da Polícia Federal em Minas Gerais, Alexandre Eustáquio Braga, que no início da semana, acompanhado do agente Ricardo de Faria Marsicano, esteve no gabinete do Executivo de Ipatinga. Com base em números, ele enfatizou que um posto da PF é bem menos do que a região precisa, confirmando a necessidade de uma delegacia de médio e até mesmo grande porte. 

Presentes na reunião, ao lado de prefeitos, vereadores, empresários, autoridades da área de segurança e líderes de entidades classistas, entre outros, os deputados federais Enéias Reis (PSL) e Hercílio Coelho Diniz (MDB), mais assessores de gabinete da deputada federal Alê Silva (PSL), se comprometeram a capitanear os contatos para o encontro com o ministro Moro. Eles se dispuseram ainda a atuar em parceria com colegas da Câmara e senadores para fortalecimento do pleito. 

O grupo de trabalho para a audiência em Brasília deverá ser constituído e apresentado até a próxima segunda-feira (23). Farão parte dele o chefe do Executivo de Ipatinga, Nardyello Rocha; o presidente da AMVA, Ailton Silveira e demais prefeitos e presidentes dos legislativos da região ou pessoas por eles indicadas, além de membros de entidades classistas. 

“Quando obtive a confirmação, por parte dos membros da PF, quanto à necessidade da instalação não só de um posto para emitir passaporte, mas sim de uma Delegacia de grande porte na região, não tive dúvidas de que precisaríamos unir forças com os prefeitos, vereadores, entidades e empresas para garantir essa unidade. Será uma vitória de todo o Colar Metropolitano, diante dos inúmeros deslocamentos que hoje são feitos a Governador Valadares ou Belo Horizonte para resolver questões relacionadas ao órgão. Avalio esta reunião como muito proveitosa e prenúncio de sucesso, como já foi outra iniciativa recente em prol da retomada do funcionamento do aeroporto que serve ao Vale do Aço, uma vez que já estão predefinidos alguns nomes para a frente de trabalho que irá até Brasília”, disse o prefeito Nardyello Rocha

Ipatinga se dispõe a conceder imóvel para implantação de uma unidade de grande porte da PF no Vale do Aço (Foto: divulgação/ PMI)

Necessidade

Durante o encontro desta sexta-feira, Nardyello explanou aos presentes a iniciativa da PMI, nos últimos meses, que convergiu para um estudo técnico de viabilidade feito pela própria Polícia Federal, apontando uma série de razões para atendimento da reivindicação pela Polícia Federal e a União. Ele ainda antecipou que o município está pronto para disponibilizar um local adequado à Delegacia, que receberia cerca de 40 servidores para atender todo rol de serviços prestados pelo organismo. 

Além da grande demanda para emissão de passaportes, documento básico para viagens internacionais requisitado diariamente pelos moradores da região (que atualmente precisam se deslocar até Valadares ou BH para serem atendidos), há uma série de outros aspectos que referenciam e instrumentalizam a abertura de uma Delegacia da PF na região. A Polícia Federal informou que cerca de 800 inquéritos relacionados ao Vale do Aço tramitam hoje na capital mineira. Mas não é só. Outros argumentos foram apresentados durante a reunião desta sexta, pelas diversas lideranças presentes. A Delegacia significaria inibição da criminalidade; prevenção contra possíveis acidentes de trânsito no precário trecho da BR-381 entre o Vale do Aço e capital mineira e também o congestionado percurso até Governador Valadares. 

Outro motivo relevante é a ausência de centenas de empregados em seus locais de trabalho, a cada mês, no momento de ir fazer o passaporte e também na hora de buscar o documento, uma vez que somente a pessoa titular está autorizada a fazer os procedimentos. 

Doação de Imóvel

“Durante a conversa que tivemos esta semana com o Superintendente-Adjunto da PF, Alexandre Braga – explanou ainda o prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha –, ele não colocou dificuldade alguma para trazer a unidade para Ipatinga. Porém, lembrou que a Polícia Federal está entre os órgãos que sofreram contingenciamento de verbas por medida do novo governo federal, perdendo 18% de recursos. Desse modo, ficaria inviável colocar no orçamento da União (principalmente deste ano, que já está desenhando) os custos para bancar o funcionamento da Delegacia. Então, num primeiro momento o nosso governo se dispõe a fazer a doação do local para a unidade, consultada naturalmente a Câmara Municipal. E, em relação aos demais gastos, vamos buscar parceiros, inclusive apelando à sensibilidade de grandes empresas, que também serão muito beneficiadas, tendo em vista o grande número de estrangeiros com que se relacionam regularmente e, ainda, os funcionários que têm que se deslocar ao exterior muitas vezes para cumprirem missões técnicas, aperfeiçoamentos e realizarem contatos comerciais”, explanou o prefeito de Ipatinga.