Coral Infantojuvenil Aperam retoma suas atividades e abre vagas para novos integrantes

(Foto: Fundação Aperam Acesita)

A Fundação Aperam Acesita retornou esta semana com as aulas do Coral Infantojuvenil Aperam, e abre inscrições para novos integrantes. Os ensaios são realizados de segunda a quinta-feira, das 18h às 19h30, para duas turmas, sendo na faixa etária de 12 a 16 anos às segunda e quarta e entre  8 e 11 anos às terças e quintas. 

Para participar do Coral, basta realizar a inscrição pelo telefone 3849.7744, de segunda a sexta-feira, de 8h às 11h30 e de 13h às 17h. Os inscritos participam de um teste de aptidão, sendo selecionados, iniciam as aulas que são gratuitas.

Após cumprir extensa agenda de apresentações no primeiro semestre, o Coral agora se dedica a desenvolver um repertório especial para o segundo semestre. “As apresentações são muito importantes. Além de ser  tradição, elas são um modo de consolidar o trabalho desenvolvido no Projeto Canto Coral ao longo de cada ano. Por isso, já estamos planejando novas apresentações. Nosso objetivo é trabalhar um bom repertório para que o sucesso dos espetáculos anteriores seja superado em novos eventos”, sublinha a maestrina Josiane Drumond. 

De acordo com o presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino, o Canto Coral é um projeto que contribui com o desenvolvimento das crianças e adolescentes e vai além da música “Por meio do Coral, os alunos desenvolvem o gosto musical e suas habilidades para pesquisar composições que não tocam diariamente na mídia. Além do mais, o projeto favorece o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, concentração, atenção, autodisciplina, respeito ao próximo, da socialização e afetividade das crianças e adolescentes, contribuindo também para uma efetiva consciência corporal e de movimentação do grupo”, enfatiza o presidente. 

Há aproximadamente um ano, Luisa Rufino, de 14 anos, ingressou no coral. Estudante de piano, a adolescente viu no coral uma oportunidade de desenvolver seu talento musical. “Estudo piano há quatro anos e, sem dúvida, o meu ingresso no Coral ajuda a complementar meus estudos. As técnicas pianísticas me ajudam no canto coral e vice-versa. Além disso, fiz novos amigos, conheci pessoas com as quais me identifico pelo interesse que temos em comum pela música”, conclui Luisa.