Ações práticas abrem o calendário do Dezembro Laranja no município

Ultramaratonista Mariléia Ezequiel correrá durante uma tarde para chamar a atenção sobre a importância de prevenção do câncer de pele (Foto: divulgação)

Está chegando dezembro e esse ano, em virtude da lei 3.935/19 que estabelece o mês como sendo um período de conscientização da prevenção do câncer de pele, a Câmara irá promover ações práticas para chamar a atenção da população sobre a importância da prevenção e da não exposição excessiva ao sol.

No próximo dia 4, a ultramaratonista Mariléia Ezequiel irá correr na Câmara, de 12 às 17h para chamar a atenção sobre o tema. Ela já realiza esta conscientização há mais tempo e, com a sanção da lei, esta será a 1ª vez que a corredora fará uma sensibilização na sede do Legislativo.

Outra ação que será realizada é uma palestra contra o câncer de pele no mesmo dia 4, às 19 horas, no Plenário da Instituição. Para falar sobre o tema, a dermatologista Graziella da Silveira comandará o evento.   

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), é de suma importância conscientizar a população sobre a prevenção da doença desde a infância, e é muito importante reconhecer os sinais do câncer de pele para diagnóstico e tratamento precoces, o que aumenta a chance de cura.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), anualmente, são diagnosticados 180 mil casos novos da doença. Isso significa que 1 em cada 4 casos novos de câncer no Brasil, é de pele.

O autor da Lei 3.935/19, que estabelece o dezembro laranja, vereador Ley do Trânsito, explicou que “propôs a lei porque o próprio INCA acredita na redução das estatísticas de incidência de câncer da pele no país, e por isso mesmo, a promoção de uma política pública que venha reforçar a conscientização da prevenção é muito válida”, disso Ley.

Câncer de Pele – Este tipo de câncer é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Existem diferentes tipos de câncer da pele que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular – chamados de câncer não melanoma – e que apresentam altos percentuais de cura se diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. Quando descoberta no início, a doença tem mais de 90% de chance de cura.

Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta que as pessoas se examinem com regularidade, consultando um dermatologista em caso de suspeita. Também é importante que se examine familiares, pois muitas vezes os cânceres podem aparecer em regiões que não é possível reconhecer sozinho. Ao se expor ao sol, é importante que as áreas descobertas estejam protegidas, mesmo em dias frios e nublados.

Casos no Brasil – De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 30% de todos os tumores malignos do Brasil correspondem ao câncer da pele. Para o biênio 2018/2019, a estimativa é de 165.580 mil novos casos de câncer da pele não melanoma. Um dado novo desse período é que, em relação à última estimativa do Inca (2016/2017), a doença acometerá mais homens (85.170 mil) do que mulheres (80.410 mil). Outra notícia é sobre a estimativa de novas ocorrências de câncer da pele não melanoma ter diminuído em 10 mil casos de um biênio para o outro.