994 municípios brasileiros estão em situação de risco de surto de dengue, zika e chikungunya

O Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) aponta que, até setembro, 994 municípios brasileiros estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya (Foto: Ministério da Saúde)

O Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) aponta que, até setembro, 994 municípios brasileiros estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya. Essas cidades apresentaram índices de infestação predial maiores de 4% – taxa considera alta pelo Ministério da Saúde. Diante desse contexto, o Governo Federal alerta a necessidade de intensificar, nessas localidades, as ações de combate ao mosquito. Ao todo, 4,9 mil realizaram o LIRAa, que aponta, ainda, outros 2,1 mil municípios em situação de alerta (com índices de infestação predial entre 1% a 3,9%).

Minas Gerais é a Unidade da Federação com o maior número de municípios em risco. São 129 cidades com altos níveis de infestação. Junto ao estado mineiro, Bahia (104), Rio Grande do Norte (97), Maranhão (76) e Rio Grande do Sul (75) encabeçam a lista. Cerca da metade das cidades em risco (489) está no Nordeste.


E desde 2016, 47 municípios estão em situação de risco. Essa realidade ocorre em 11 estados diferentes. Um exemplo é Surubim, cidade localizada no Agreste de Pernambuco. De acordo com o LIRAa, está desde 2013 com risco de infestação. Em 2019, a taxa de presença do mosquito na cidade atingiu 18,60%. O número é 18 vezes maior do que o Ministério da Saúde considera como satisfatório.