Programas da plataforma Usiminas Mobiliza são apresentados em congresso da Alacero na Argentina

(Foto: divulgação)

Os programas Mobiliza pelos Caminhos do Vale e Mobiliza Todos pela Água, realizados pela Usiminas em parceria com a AMVA (Associação dos Municípios do Vale do Aço) e outros parceiros, foram destaques da programação da 60ª edição do Congresso da Associação Latino-Americana do Aço (Alacero), encerrada nessa quinta-feira (14) em Buenos Aires, na Argentina. Com um público estimado em cerca de 800 participantes, o Congresso debateu temas como sustentabilidade e outros que permitirão que as indústrias produtoras de aço e suas cadeias produtivas estejam preparadas para responder não só às novas demandas do mercado, como também contribuir para o crescimento socioeconômico da América Latina.

Os programas integrantes da plataforma Mobiliza reúnem 54 municípios de Minas Gerais e já garantiram resultados como a pavimentação de cerca de 2 mil quilômetros de estradas rurais na região Leste do Estado utilizando como matéria-prima o agregado siderúrgico, um co-produto do processo produtivo doado pela Usiminas, e mais de 4 mil nascentes em processo de recuperação. “É o ciclo completo do desenvolvimento sustentável: diferentes atores trabalhando em diferentes frentes para gerar benefícios para a sociedade”, afirma Henrique Helcio, coordenador do programa e responsável pela apresentação da iniciativa da Usiminas durante o congresso da Alacero.

“Ao participarmos de eventos como esse temos a oportunidade de reforçar nosso comprometimento socioambiental com as comunidades onde estamos inseridos. Desde o início das nossas operações, estabelecemos um compromisso com o desenvolvimento sustentável das localidades, construído com base na confiança e no diálogo”, acrescenta Henrique.

A Usiminas esteve presente no congresso também com a mediação do seu presidente Sergio Leite no painel “A indústria siderúrgica global e seus insumos” e com um estande onde foi possível os visitantes realizarem um tour virtual pelas Usinas de Ipatinga e Cubatão, utilizando óculos de realidade aumentada e de maquetes virtuais em três dimensões.