Retomada da obra dos apartamentos populares no Bom Jardim tem mais um capítulo

Construtora revisa planilhas e conclui que R$ 4 milhões disponibilizados pelo Governo Federal para conclusão das obras estão defasados

Executivo busca mais R$ 2 mi para retomada efetiva dos 300 apartamentos do Bom Jardim. “Indiferente de ser responsabilidade do município ou do Governo Federal, essa Administração sempre irá tratar tudo que envolve o
bem-estar e a qualidade de vida dos ipatinguenses como prioridade. Sendo assim, mais uma vez vou a Brasília lutar junto aos deputados que têm compromisso com a nossa cidade para conseguir mais verba para a retomada da obra dos apartamentos. Semelhante ao que foi feito há poucos dias, quando anunciamos a liberação de R$ 4,08 milhões em recursos, assim faremos novamente”.

As palavras são do prefeito de Ipatinga, Nardyello Rocha, que no fim da tarde dessa quarta-feira (29) recebeu na sala de reuniões do gabinete, representantes da Associação de Moradores do bairro Bom Jardim e o empresário Wallace Barreto, dono da Construtora WR, empresa responsável pela finalização dos 300 apartamentos em construção no bairro Bom Jardim. Dirigidas a famílias com renda mensal até R$ 1.800, por meio do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, as obras foram iniciadas em 2014, mas acabaram interrompidas devido a problemas de irregularidades envolvendo a Associação Habitacional de Ipatinga (AHI), ficando paralisadas nos últimos três anos.

Durante a reunião, a construtora informou que os pouco mais de R$
4 milhões em recursos destinados à conclusão dos 300
apartamentos são insuficientes para dar sequência às obras. Dado
o grande período de paralisação dos serviços, verificou-se
deterioração em parte das instalações e até mesmo vandalismos.
Além disso, os próprios custos de produção se alteraram. Revisada
a planilha, a construtora informou que os documentos serão
encaminhados nos próximos dias à regional da Caixa Econômica
Federal, em Governador Valadares. Em seguida, a instituição de crédito ficará encarregada de enviar os levantamentos à Secretaria
Nacional de Habitação, para revisão de valores.

“Infelizmente, devido ao longo tempo de paralisação da obra, era de
se supor que haveria esta defasagem, até mesmo em função dos
desgastes naturais gerados pela falta de acabamento. Apesar da
execução do residencial não estar ligada diretamente à prefeitura,
vamos buscar forças políticas, acionando até mesmo o deputado
Enéias Reis (PSL-MG), que já tem nos ajudado referente a esse
assunto”, frisou o prefeito.

Apartamentos
O conjunto habitacional Bom Jardim III é composto por 14 blocos de
apartamentos. São dez blocos com 22 apartamentos e mais quatro
com 20. A área de cada uma das moradias é de 45 metros
quadrados. A construção foi interrompida num estágio de cerca de
85% das obras, em fevereiro de 2016.

Cerca de mil pessoas aguardam a conclusão das unidades
habitacionais.