Moradores do Vale do Aço reclamam de forte odor que se espalhou pela região

Usiminas, Aperam, Copasa e Cenibra se manifestaram sobre as reclamações. Prefeitura de Ipatinga diz que informou o ocorrido aos órgaos ambientais do estado.

As redes sociais foram inundadas de comentários sobre um mau cheio sentido, na noite dessa terça-feira, 11, e madrugada de quarta-feira, 12, em vários bairros de Ipatinga, Coronel Fabriciano e Timóteo. Houve ainda relatos de moradores de cidades do colar metropolitano. Algumas pessoas levantaram a suspeita de que mau odor poderia vir dos processos industrias das maiores empresas da região. “Aqui no Cariru está uma fumaça muuuuito densa com cheiro insuportável, estamos passando mal dentro de casa, está impossível de respirar.”

Além do incômodo natural ao inspirar um cheiro ruim, algumas pessoas relataram terem sentido mal estar, como dor de cabeça, ardência nos olhos e nas narinas e ânsia de vômito.

Uma mulher descreveu na rede social: “Canaã tbm está terrível o mal cheiro, minha filha de 6 anos reclamando dor de cabeça, o q ñ é  de costume sentir, reclamar…misericórdia”.

Moradores também ficaram preocupados se poderia ter ocorrido algum vazamento de um gás tóxico. “Eu moro no bairro Bela Vista,um cheiro muito forte invadiu o interior da residência, também fiquei muito preocupado se seria gás, o odor era sim característico de gás.”

O Corpo de Bombeiros recebeu ligações de moradores preocupados. Segundo a corporação, o oficial de plantão entrou em contato com a Usiminas, que descartou ser a responsável pelo cheiro estranho.

A Usiminas  enviou nota à imprensa na manhã desta quarta-feira, 12.

“A Usiminas informa que recebeu questionamentos da comunidade no fim da noite de terça-feira, dia 11 de fevereiro, sobre um incômodo gerado por um mau cheiro em algumas cidades do Vale do Aço. Conforme procedimento acordado com a comunidade, imediatamente as equipes técnicas da empresa foram acionadas e realizaram a aferição no entorno da usina e não foi identificada a presença de nenhum tipo de gás. Em relação ao odor, a empresa esclarece que não é proveniente de nenhum processo siderúrgico. A Usiminas reitera seu compromisso de diálogo e transparência com a comunidade e permanece à disposição”.

A Copasa também se manifestou. “A Copasa informa que as unidades de tratamento de esgoto de Ipatinga, Coronel Fabriciano e Timóteo operam dentro da normalidade, sem qualquer relação com o fato apresentado”.

A Aperam também publicou um comunicado.

“A Aperam esclarece que, em relação ao mau cheiro percebido na noite desta terça-feira (11) pela comunidade do Vale do Aço, incluindo a região Centro Norte de Timóteo, não houve nenhuma emissão de gases e odor oriundos do seu processo padrão de produção. Portanto, a empresa ressalta que o ocorrido não tem relação com seu processo industrial em Timóteo. A Aperam se coloca à disposição da comunidade e reafirma o seu compromisso com a responsabilidade socioambiental, pautado no diálogo e transparência dos seus processos”.

No começo da tarde, a Cenibra divulgou uma nota de esclarecimento.

“A Diretoria da Celulose Nipo-Brasileira S.A. – CENIBRA esclarece para toda a comunidade que o forte odor percebido na região do Vale do Aço na noite dessa terça-feira, 11/2/2020, não apresenta relação com o processo de produção de celulose. A Fábrica localizada em Belo Oriente encontrava-se em operação normal nessa data. A CENIBRA monitora continuamente seus processos e sempre mantém um canal aberto com todas as comunidades onde atua. Por isso, reitera seu compromisso com o desenvolvimento tecnológico, preservação ambiental e investimento social, garantindo a sustentabilidade do negócio.”

Prefeitura de Ipatinga

A respeito do incômodo, estranho e perturbador mau cheiro identificado em diversas regiões do município de Ipatinga, desde a noite de terça-feira (11) e prosseguindo por grande parte da madrugada desta quarta-feira (12), a Prefeitura de Ipatinga informa que está empenhada junto aos órgãos ambientais da região para esclarecer as reais causas do incidente e apurar responsabilidades.

Em contato com o comando local do policiamento de Meio Ambiente, a Administração Municipal foi informada de que a unidade está realizando um levantamento em toda a cidade, para verificar os locais afetados pelo mau-cheiro.

Um boletim de ocorrência está sendo elaborado e, tão logo os levantamentos sejam concluídos, será encaminhado ao Núcleo de Emergências Ambientais, sediado em Belo Horizonte, para as investigações cabíveis quanto à origem do odor. O mesmo Núcleo já foi cientificado do evento, e seus técnicos serão designados para comparecer ao Vale do Aço para as averiguações.

Tendo em vista a gravidade do caso e preocupada com o bem-estar da população, a Prefeitura Municipal de Ipatinga segue acompanhando de perto todo o processo de apuração, esperando dar uma resposta conclusiva e efetiva à comunidade com a maior urgência possível.