Famílias que ficaram desalojadas em Fabriciano começam a voltar para casa

foto: PMCF

Passadas as fortes chuvas no Vale do Aço, a Prefeitura de Coronel Fabriciano continua a contabilizar os prejuízos e faz a limpeza das áreas atingidas.

O grande volume de chuva que caiu no fim de semana em Coronel Fabriciano deixou 394 pessoas desalojadas, segundo a última contagem da administração municipal. E ainda três pessoas foram desabrigadas e um homem, de 42 anos, morreu afogado após entrar em uma área alagada.

Com a estiagem, 146 pessoas já voltaram para suas moradias. É o caso da dona Matilde das Graças Correia, 68 anos. A água invadiu a casa dela. “Só deu tempo de salvar a geladeira, algumas coisas e documentos. Meus filhos me ajudaram a chegar até a casa da minha irmã (na parte alta). Depois, foram a nado ajudar os vizinhos. Já limpamos tudo, ainda estou muito nervosa, assustada. Mas agora é recomeçar”, conta Matilde enquanto mostra a parede ainda úmida com a marca da água, que chegou quase um metro em sua casa.

Algumas pessoas seguem no abrigo preparado pela prefeitura, mas a maioria optou por permanecer na casa de parentes. De acordo com o município, todas as vítimas estão sendo assistidas integralmente pela Prefeitura, que também distribui kits de limpeza e higiene pessoal, cestas básicas, roupas e refeições. No fim de semana, o prefeito Marcos Vinicius decretou Situação de Emergência e busca recursos junto aos governos Estadual e Federal para ampliar a assistência às vítimas e recuperar áreas afetadas.

Os bairros mais atingidos na cidade foram Manoel Maia; Dom Helvécio; JK; Surinan; Frederico Ozanan; Judith Bhering; Centro; Santo Antônio; Morro do Carmo; Morada do Vale; São Cristóvão; Santa Terezinha Aldeia do Lago; Santa Vitória dos Cocais; São José dos Cocais; Alipinho; Caladinho; Caladão; Santa Cruz, Córrego Alto, São Domingos, Recanto Verde e Bom Jesus.

De acordo com a Prefeitura, com a trégua da chuva, também foram retomadas a operação “tapa-buracos” e a limpeza dos bueiros (bocas-de-lobo) e margens dos rios. As prioridades são os corredores viários e avenidas. A primeira ação visa minimizar os danos no revestimento por causa das chuvas. Já a segunda, é para desobstruir as galerias e córregos, melhorar a vazão da água das chuvas pluvial e evitar alagamentos. Neste caso, a comunidade pode e deve colaborar: basta não jogar lixo nas ruas, margens de córregos e nas bocas-de-lobo.

O secretário de Governança de Obras e Serviços Urbanos, Nelson Diniz, lembra que os trabalhos preventivos são feitos durante todo o ano e intensificado nos meses que antecedem o período chuvoso, sobretudo, outubro e novembro de 2019. “São ações contínuas e fundamentais para evitar danos ainda maiores”, destaca o secretário. Só em 2019, a Prefeitura desobstruiu mais de 5 km de redes pluviais. Para ação de tapa-buracos estão reservados 100 m² de pavimento a ser aplicado nos próximos dias, conforme as condições climáticas.

SERVIÇO

Em caso de emergência, o cidadão deve ligar para a Defesa Civil Municipal que atende pelo 199 (plantão) e pelo telefone 3846-7702; Polícia Militar, 190 e Corpo de Bombeiros, 193.