Caso suspeito de coronavírus é monitorado em BH

Foto: Erasmo Salomão / Ascom MS

Uma estudante, de 22 anos, que viajou para Wuhan, na China, foi atendida na UPA Centro Sul de Belo Horizonte, com alguns sintomas respiratórios e febre baixa, logo após chegar ao Brasil na sexta-feira (24). Nesta terça-feira (28), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, informou que a paciente apresentou sintomas “compatíveis” com os da doença. Todas as 14 pessoas que tiveram contato com a estudante também estão sendo “monitoradas”.

Segunda a Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), a jovem passa bem e foi transferida na noite de segunda-feira (27), para o Hospital Eduardo de Menezes (HEM) para ser acompanhada. O HEM é referência estadual para o atendimento de doenças infectocontagiosas, emergências em saúde pública e atenção aos agravos de interesse sanitário. Para esses casos é necessária resposta rápida e qualificada, com isolamento em área específica e monitoramento clínico cuidadoso e de resultados de exames.

A amostra da paciente já foi recolhida e alguns exames serão realizados na FUNED (Infuenza A e B, Adenovírus, Bocavírus, metapneumovírus, parainfluenza 1, parainfluenza 2, parainfluenza 3 e vírus sincicial respiratório). E os demais exames, incluindo o específico para Coronavírus serão realizados na Fiocruz.

Alerta regionais

A SES-MG informa que no dia 20 de janeiro, a Organização Pan Americana de Saúde (OPS) emitiu o Alerta Novo Corononavírus. De acordo com o documento, diante da situação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Panamericana de Saúde (OPS) orientam os Estados Membros a fortalecerem as atividades de vigilância para detectar qualquer evento incomum de saúde respiratória.

A SES-MG emitiu o alerta para as unidades regionais de saúde, que repassarão a orientação da OMS e da OPAS aos municípios mineiros.

Casos na China

O número de mortes causadas pela nova variante do coronavírus chegou a 106 depois que autoridades da província de Hubei anunciaram  24 mortes na manhã desta terça-feira (28). Autoridades de saúde da China afirmam que mais de 4 mil pessoas foram infectadas.

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde meados dos anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem. Segundo informações divulgadas pelo Centro de Controle de Doenças Americado – CDC e Organização Mundial da Saúde – WHO, as autoridades chinesas relataram que um novo coronavírus (nCoV) foi identificado no país. 

No dia 21 de janeiro de 2020 foi identificado o primeiro caso nos EUA. Também já foram identificados casos em outros países (Japão, Tailândia, Coreia do Sul), todos os casos identificados foram de pessoas que estiveram na região de transmissão.